Luna Costa

Colagem_Digital_R$440,00.png

Paulistana criada na 416 norte em Brasília, filha de Valéria, uma jornalista virginiana

poderosíssima, e um repórter fotográfico de olhos atentos, sempre fui incentivada

e desenvolver um olhar crítico e apurado sobre tudo ao meu redor.


Como tantas outras pessoas pretas, via no estudo a única solução de ascensão, então

desde muito nova estudei para conseguir e manter bolsa em escola particular, para que 

eu pudesse sonhar com o ingresso em uma universidade pública, que veio em 2014

no curso de Têxtil e Moda na USP, motivo pelo qual retornei a minha cidade natal, que

mesmo nos anos morando em Brasília me causava fascínio, durante as visitas anuais à família.

A costura e a arte sempre me foi um recurso de expressão, mas foi só no caos de 2020, que além de viver as dores de uma pandemia como toda a população mundial, eu me resgatava após um relacionamento abusivo que durou pouco mais de 4 anos e se encerrou sob a guarda de uma medida protetiva.

Foi criando a I.una que me reencontrei em mim e resgatei no meu grito silencioso de minhas expressões artísticas, o sentido de estar nesse mundo e ter vivido o que vivi.

Que seria, além de exercer meu poder de artista em materializar minha sensibilidade, mas ser um espelho para outras manas pretas; mostrando que somos SIM capazes de produzir arte, apesar das incontáveis limitações que essa sociedade racista e misógina nos impõe.

Já me fizeram acreditar do contrário, e minha missão é fazer com que cada vez mais manas pretas não se paralisem com esse sentimento que nos faz queimar por dentro. 

Confira  as obras!